Twitter contrata especialista que ajudou a China censurar o Google no país

Segundo a Epoch Times, a rede social Twitter teria contratado a “especialista” Fei-Fei Li para trabalhar em ferramentas que ajudam a combater o chamado “discurso de ódio” na plataforma.
Fei-Fei Li possui ligações com a ditadura Partido Comunista Chinês e tem experiência, já ajudou Google a “identificar conteúdo de ódio” na plataforma na China.

“Contratar Li para trabalhar no Twitter foi como ‘contratar uma raposa para proteger o galinheiro.’ Eles parecem ter ignorado a cooperação de Li com a China, [Ela] discretamente se opôs à cooperação do Google com o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (…) mas fez vista grossa ao Projeto Libélula, no qual o Google planejava ajudar o Partido Comunista Chinês a monitorar discursos online”, disse o analista francês, Wang Longmeng.

Quem inventou o termo “discurso de ódio” foi a revolução cultural chinesa. Isso foi usado como um eufemismo para regular a internet, bloquear sites como o Wikipédia e Facebook, e selecionar quem pode ou não ter acesso a internet comum. Lá eles afirmam que qualquer discurso que opõe Pequim é “discurso de ódio”.

Li também é consultora em inteligência artificial da Universidade Tsinghua da China. A I.A. foi considerada tecnologia militar chave no governo do presidente Xi Jiping.
A recém contratada pelo Twitter também tem ligações com o Future Forum, com sede em Pequim e organizado pela Associação de Ciência e Tecnologia da China, administrada pelo Partido Comunista Chinês. O Fórum discute o desenvolvimento de tecnologia móvel com um forte foco em 5G.” diz matéria do Epoch Times.