Cientistas retiram estudo que alegava “sequela de arritmia causada pela Cloroquina” e pedem desculpas

Publicado em 22 maio, na Revista The Lancet, o estudo afirmava que o uso de quatro protocolos diferentes de medicamentos – todos usando hidroxicloroquina – não surtiu efeito sobre o vírus SARS-CoV-2, agente causador da Covid-19. O estudo relata que um dos efeitos colaterais descritos na bula dos medicamentos, a arritmia cardíaca, colocou em risco a vida de pacientes de diversos grupos, desde os menos severos até os que estavam em estado crítico. 

Porém, três dos quatro autores do estudo que indicava que a cloroquina aumentava os riscos de arritmia cardíaca nos pacientes, afirmaram que não é possível garantir a veracidade dos dados do trabalho, de acordo com o comunicado divulgado no dia 4 de junho, no próprio site da revista científica britânica The Lancet.

“Nós não podemos mais garantir a veracidade das fontes dos dados primários. Por causa deste desenvolvimento infeliz, os autores pedem que o artigo seja retratado”, afirma o médico e cientista Mandeep Mehra, em comunicado.

Assim que surgiu a hipótese do estudo ter dados falsos, nós tratamos de noticiar aqui no Boletim do Brasil Online, mas diversos comentários pareceram duvidar do que realmente estava acontecendo.
A mídia mundial inteira usou esse estudo para causar o caos, impossibilitar o tratamento com o medicamento, e inflar o número de vítimas pelo vírus chinês. E agora, simplesmente não citam a retratação da revista, que pode ser visualizada no site da The Lancet.

COMPARTILHE:

One thought on “Cientistas retiram estudo que alegava “sequela de arritmia causada pela Cloroquina” e pedem desculpas

  • 12/01/2021 at 17:17
    Permalink

    Mas o mal , agora, já foi feito. Resta só indenizar.

Comments are closed.