Biden vende U$750 milhões em armas para Taiwan e causa mal estar com a China

Um dos maiores desejos da ditadura comunista chinesa é anexar países da Ásia ao seu território, como a recente invasão a Hong Kong.

Outro país reivindicado pela China é Taiwan. O país independente vive sob tensão há anos com a ameaça comunista, que inclusive já ameaçou atacar o Japão por defender Taiwan, e até já chegou a pedir para o Brasil não cumprimentar e nem reconhecer o novo Presidente de Taiwan. Agora, o democrata Biden, partido que sempre foi simpático à China, decide aprovar primeira venda de armas para Taiwan.

O governo de Taiwan agradeceu e disse que “essa é uma clara demonstração de que o governo Biden está comprometido em ajudar a manter Taiwan como um país independente”.
A compra de Taiwan está avaliada em mais de U$750 milhões, incluindo pelo menos 40 veículos de guerra e material bélico de alta propulsão.

A defesa dos Estados Unidos declarou que a venda “atende os interesses políticos e econômicos americanos, e que a compra ajudará o destinatário (Taiwan) a manter o equilíbrio militar na região”.

Essa é a primeira venda do governo Biden para Taiwan, a última havia sido no governo Trump, quando foi vendido cerca de U$1,8 bilhões em armamento para a ilha.

O Partido Comunista Chinês condenou o acontecido, dizendo que a venda ameaçara as relações EUA/China e que tomará medidas.

COMPARTILHE NAS SUAS REDES SOCIAIS: